Arquivo do mês: julho 2010

LUB

Que tal perder o sentido?

Para que tudo aquilo

Que construiu com tanto carinho

Se torne uma piada de mau-gosto

Para quem mais te ama

Costumava ser bom em brilhar

Fazia isso indiscriminadamente

Dar potência a um brilho indescritível

Sem a menor discrição

Descrevo então

Como se mata algo forte

Como se destrói algo lindo

Como se enaltece o abominável

E se faz possível alimentar-se

Do inconcebível

 Não queria…

 …juro que não queria.

Anúncios

Na Caverna

O mosaico pastilhado borrado de cidade permanecia forte no concreto
Desde 1991 segundo a assinatura do autor

Borrado de tanta bôrra
Pastilhado por ser abstrato
E literalmente feito de pastilhas de azulejo

coloridas

No vácuo dos vagões
Havia de fato algo de prosaico em tal mosaico

Jogando tanta cor assim em quem não quer


Não Há Lugar Como Nosso Lar

Bato o converse de rubi
Atravessado de pirlimpimpim
Oz parece ser qualquer orelhão
Vinte para as cinco
E uma paranga de vinte e cinco


Das Letras Miúdas

Olha para você
A maior mulher do mundo encolhida a chorar
Nem parece que
Outro dia mal-dormida esqueceu do que um lar é feito

Sim, posso esquecer os outros
No dia em que você precisar só de mim
Posso te surpreender
Logo que você não agir mais assim

Não me afasta por egoísmo
Não me exclua assim por vingança
Não me esmaga e nem me humilha
Não me trata como criança

E se eu escrevo pra não mais explodir
Você se afoga em razões pra mentir
O teu cinismo são as letras pequenas no final do contrato

E se eu te acuso de não mais me querer
Você me pede para eu não te maltratar
Eu podia então falar de compromisso
Mas não jogo tão baixo

Olha para você
A maior mulher do mundo encolhida a chorar
Nem parece que
Outro dia mal-dormida esqueceu do que um lar é feito

Sim, posso esquecer os outros
No dia em que você precisar só de mim
Posso te surpreender
Logo que você não agir mais assim

Não me tira o equilíbrio
Não denigra a nossa idéia-base
Se quiser eu mesmo decido
Se me beija ou então me bate

E se eu suspendo a sensação de te ter
Posso ao menos de mim mesmo cuidar
É cruel o sentimento de ser a sua contra-mão

E se você então quer à todos amar
Não se preocupe eu estarei bem aqui
Em algum lado infeliz da memória rindo da solidão

Rindo da solidão
Rindo da solidão


%d blogueiros gostam disto: