Arquivo do mês: novembro 2010

Dessa Maneira

É que quando escuto o sussurro das ruas
Minhas costas abandonam o peso virtual

dessa tua presença

E acho que não vai deixar de ser assim
Talvez nunca tenha

É que você tem um plano

E eu um sonho

E estas duas…
..são coisas tão diferentes amor

Anúncios

Correndo Macio

O tempo passou acelerado nestes anos todos
Só para repousar sob a brisa deste novo período

Por mais que sempre haja a intensa correria vital
Meu coração indiferente, preguiçoso e psicopata
Não vê urgências
Não dá margem as intempéries

E o aperto
parece esquecer o cheiro fétido
daquilo que aqui havia morrido

Relaxa vadio
trocando a lembrança sofrida por qualquer memória bêbada e despretensiosa

Os dias;

Acúmulo infinito de palavras tortas em ruído comunicativo

passos

minutos

cifrões

quebras

Esvoaçam numa tarde chuvosa
Num constante assobio
Num olhar roubado
Que implora um beijo perdido


There There

A impressão que se tem às vezes
É que o mundo aqui já acabou

“Just cause you feel it, doesn´t mean it´s there”

Parecia cruzar a cidade à nado
Contra a correnteza
O tempo não passava

Os indivíduos se acotovelavam

“There´s someone on your shoulder”

O passado se torna um sonho bom
Ao confronto direto do pesadelo presente

“We are accidents waiting to happen”

E o futuro é implacável


%d blogueiros gostam disto: